Satori




SATORI


Satori, é um termo japonês budista para iluminação. A palavra significa literalmente "compreensão". É algumas vezes livremente tratada como sinónimo de Kensho, mas Kensho refere-se à primeira perceção da Natureza Búdica ou Verdadeira Natureza, algumas vezes conhecida como "acordar". Diferentemente do Kensho, que não é um estado permanente de iluminação, mas uma visão clara da natureza última da existência, o Satori refere-se a um estado de iluminação mais profundo e duradouro. É costume portanto utilizar-se a palavra Satori, ao invés de kensho, quando referindo-se aos estados de iluminação do Buda e dos Patriarcas. Segundo D. T. Suzuki, "Satori é a razão de ser do Zen, sem o qual o Zen não é Zen. Portanto todo o esforço, disciplinário ou doutrinal, é dirigido ao Satori."

Pergunta: O que é o Satori e como alcançá-lo?

Osho: Pratima, o Satori é a sua natureza comum, a sua natureza ordinária, o Satori não é nada de especial. Portanto, não há como alcançá-lo - já existe. Você está sempre nele, só que você esqueceu-se. Você ficou muito ocupado e preocupado com o mundo exterior. Você esqueceu-se do seu próprio reino. Você esqueceu-se do seu próprio tesouro. Você esqueceu-se de si mesmo. Você tornou-se muito preocupado com os outros. Você está demasiadamente presente no mundo, e não dá nenhum tempo, nem nenhum espaço, para que a sua própria natureza interior tenha um diálogo com você, para que essa natureza interior possa sussurrar-lhe algumas coisas sobre você. Você tornou-se artificial.

Você criou um falso ego, porque ninguém pode viver sem um centro. Você esqueceu-se do seu verdadeiro centro, e como ninguém pode viver sem um centro, então, você criou um falso centro como seu substituto. Esse falso centro é o ego. O ego significa simplesmente viver num falso centro.

O Satori é o abandono do falso, e significa a entrada na realidade, apenas sendo você mesmo, simplesmente sendo o seu Eu natural.

A palavra "ordinário" deve ser lembrada, porque a mente não está interessada naquilo que é comum, ordinário. Ela quer ser extraordinária, quer ser especial. E é por ser tão especial que o ego sobrevive.

O ego está constantemente se esforçando para se tornar mais especial, cada vez mais especial. Ele quer ser mais rico, mais poderoso, mais respeitável. O ego é muito ambicioso. Daí a palavra "ordinário" não ter nenhum apelo para a mente. E, essa é a beleza da palavra "ordinário" - porque não tem nenhum apelo para a mente.

A mente é uma conquistadora, mas a necessidade básica não é para ser conquistada, simplesmente porque já está presente em nós. O extraordinário tem que ser alcançado, o extraordinário torna-se assim o objetivo, e este está muito distante. Você tem que fazer todos os tipos de esforços, você tem que lutar muito por isso, porque já existem muitos concorrentes.

Para ser comum, para ser ordinário não há competição nenhuma. Você pode simplesmente ser ordinário, e muita pouca gente vai colocar-lhe objeções. As pessoas simplesmente vão sentir pena de você por ter desistido da corrida competitiva.

Você será um concorrente a menos - e eles vão sentir-se bem, mas lamentarão por você. Eles dirão: "Pobre companheiro! O que aconteceu com ele? Por que ele que desistiu?"

Os desistentes não são considerados pessoas muito respeitáveis neste mundo. Buda foi um desistente. Todos os verdadeiros Mestres foram, e são, desistentes. Ser um sannyasin significa ser um desistente. Abandonar a corrida dos ratos, é realmente, uma desistência, um abandono. Quando você também corre, você não pode entrar (na dimensão divina). E, quando você não está mais na corrida, não há mais lugar para onde ir. Você começa a se mover para dentro, para o interior, porque a vida é um fluxo. Se não houver nenhuma direção disponível no exterior, o fluxo toma a direção interior. Se o objetivo já não estiver bem longe, no futuro, você começa a mover-se para a sua natureza existente no presente. Isso é o Satori.

O Satori é muito ordinário, muito comum, muito natural. O Satori significa a sua própria natureza. Você já veio ao mundo em Satori. O Satori é o seu rosto original - todos os outros rostos são máscaras.

Yoka diz:

Um discípulo fala de acordo com a Verdade absoluta.

Lembre-se sempre que deve-se cortar a raiz e não os galhos e as folhas.

Qual é a causa raiz da sua miséria? A causa raiz é a sua ambição, o seu desejar. Uma pessoa quer ser isso e aquilo, uma pessoa quer possuir isto e aquilo, uma pessoa deseja ser alguém, alguém muito significativo.

Yoka diz: Corte a raiz... só então você realmente será um discípulo. E, no momento em que você cortar a raiz - não os ramos, não as folhas - você alcançará a Verdade absoluta. A Verdade absoluta não está longe. Ela é a Verdade imediata, é a sua própria Verdade, é o seu próprio Ser.

A maioria das pessoas não reconhece a joia perfeita, a joia da sabedoria suprema, o Satori. Essa joia está escondida no lugar secreto da sua própria Natureza de Buda, simplesmente aguardando pela sua descoberta.

Está oculta, está na sua própria essência. O que quer que você seja, viva-o. Não crie nenhum conflito, não viva segundo o "ideal". Não seja um idealista, apenas seja natural.

Mas todo o mundo está sendo ensinado você constantemente a ser um idealista: "Torne-se um Jesus", ou "Torne-se um Buda", ou "Torne-se um Krishna". Ninguém lhe diz apenas para ser você mesmo! Por que deveria você ser um Jesus? Um Jesus é suficiente, e um Jesus é lindo - ele enriquece muito a existência.

Mas, muitos Jesus carregando cruzes, e onde quer que você vá acredite que você os encontrará... isso não é muito bonito. Isso não está a aumentar a beleza da existência, isso a tornar o mundo feio. Onde quer que você vá, você encontrará um Mahavira nu. É por causa destas imitações idealistas, que Deus nunca cria a mesma pessoa novamente. Ele nunca se repete; Ele é original.

Ele sempre cria uma nova pessoa. Nunca ninguém foi como você antes, e não há ninguém que seja como você, e nunca mais haverá alguém como você novamente. Em toda a eternidade, você é único. Veja a beleza e a glória disso e o respeito que Deus demonstrou por você! Que mais respeitabilidade você precisa? Veja a singularidade de você mesmo. Não há necessidade de se tornar único; você já é único, assim como todo mundo é único. Você é único na sua simplicidade, na sua ordinariedade.

O Satori já está escondido, diz Yoka, no lugar secreto da sua própria Natureza de Buda, simplesmente aguardando pela sua descoberta.

O Satori não tem que ser criado, já está aí; você só tem que o descobrir. Entre e descubra! Está esperando. E séculos se passaram, e muitas vidas se passaram, e você se tornou viciado na extroversão. Você nunca se muda. Você nunca se move para dentro.

O primeiro passo dado em direção ao Satori é a meditação. O Satori é a experiência última da meditação, quando a meditação chegou ao seu florescimento total.

Yoka diz:

O mundo é uma completa ilusão, no entanto, ainda não existe nada que possa ser chamado de ilusão.

O mundo que você criou através da sua mente é ilusório, mas existe outro mundo que não é a sua criação. Quando a sua mente desaparece, você descobre esse mundo: o mundo da totalidade. Essa é uma experiência totalmente diferente. Nenhuma palavra pode descrever isso. Milhares de místicos tentaram descrevê-lo, mas ninguém jamais conseguiu, e ninguém jamais será capaz de descrevê-lo. É tão misterioso, é tão bonito que todas as palavras são insuficientes para descrevê-lo. Nenhuma poesia chega a esse nível, nem nenhuma música toca os seus pés.

A perfeita luz desta sabedoria ilumina uma pessoa.

No momento em que você coloca a sua mente de lado - a mente significa ambição, a viagem do ego de se tornar isso e aquilo - no momento em que você coloca toda a mente de lado, uma grande luz explode em você e você é iluminado. Isto é Satori. Não é algo que venha do exterior. Você não é entregue a qualquer outra pessoa. Você é entregue ao seu próprio ser, à sua própria natureza.

Isso só é possível praticando o Zazen, além de qualquer especulação. Naturalmente, você pode ver nuvens no espelho, mas agarrar-se ao seu reflexo é algo impossível.

Isso só é possível praticando Zazen... O Satori é possível apenas praticando Zazen.

Zazen significa: Estar sentado, apenas sentado, sem fazer nada, a primavera chega e a grama cresce por si mesma.

Você está simplesmente relaxando em seu próprio ser, sem fazer absolutamente nada. Não é uma questão de fazer, é simplesmente uma questão de ser. Você continua relaxando em seu ser. Chega um momento em que você está em sua absoluta pureza, em sua absoluta simplicidade, em sua absoluta inocência. Isso é Satori.

Zazen é uma palavra linda. Significa simplesmente sentar-se - nem mesmo fazer meditação. De facto, você não pode fazer meditação. Meditação é apenas sentar-se em silêncio, não é uma questão de fazer. Se você está fazendo algo, está perturbando a sua meditação.

Se alguém está cantando um mantra, está perturbando a sua própria meditação. Se alguém está se concentrando em alguma coisa, está perturbando a sua própria meditação. Se alguém está se concentrando, se alguém está orando, se alguém está pensando em Deus, estão perturbando a sua meditação. Tudo isso são ações da mente, e se o fazer continua, a mente também continua. Pare de fazer, e onde é que está a mente? Quando a coisa desaparece, a mente desaparece. E o desaparecimento da mente é Satori.

Está além da especulação, diz Yoka. Você não pode pensar nisso, você só pode experimentá-lo. É a experiência última, e também a experiência imediata da verdade, da beleza, do amor, da bem-aventurança, de Deus, do nirvana.

- Osho


Fonte:
Definição inicial de Satori: Wikipédia
Satori:
Por Osho
From Walking in Zen, Sitting in Zen, Chapter Four
https://o-meditation.com/2017/11/10/what-is-satori-osho/
tradução livre

Comentários

Mensagens mais visualizadas dos últimos 7 dias