Laya | Annamalai Swami


Durga


"Não se sinta desencorajado pela extensão da viagem, e nunca afrouxe os seus esforços para regressar a casa. Gire 180 graus para poder encontrar a Origem da sua viagem para o exterior, e continue sempre voltando para onde você começou. Ignore a dor, o desconforto e a frustração de lhe parecer não chegar a lugar nenhum. Continue voltando para a sua Origem, e não deixe que nada o distraia pelo caminho. Seja como o rio na sua viagem de volta para o mar. Não pára e não se distrai.

Ele somente se move, lenta e firmemente, de regresso para o lugar de origem da sua água. E, no momento em que o rio se dissolve no oceano, o rio já não existe mais. Só resta o oceano.

O Jiva (o ser indivídual) veio de Shiva e tem que regressar a Shiva novamente. Se uma brasa ardente salta para fora da fogueira, o fogo na brasa em breve irá apagar-se. Para reacendê-la, você tem que colocar de novo a brasa no fogo, de volta à sua origem ardente.

Não há felicidade na separação. O Jiva não tem felicidade, contentamento ou paz, enquanto permanecer como um ser separado. O ser separado (Jiva) vem do Ser. Ele tem que regressar ao Ser, e terminar lá. Somente então, existirá a paz eterna." - Annamalai Swami


Annamalai Swami nasceu numa pequena aldeia chamada Tondankurichi em Tamil Nadu, na Índia, em 1906. Logo após o seu nascimento, o seu pai que era um astrólogo chegou à conclusão de que o seus filho se tornaria um sannyasin, um renunciante. Para evitar que isso acontecesse, o seu pai decidiu mantê-lo analfabeto, retirando-o da escola muito cedo. Apesar dos esforços do seu pai, ele aprendeu sozinho a ler e sentiu logo uma atração pela religião.

Annamalai Swami lembrou mais tarde: "Nunca ninguém tinha falado comigo sobre assuntos religiosos, mas de alguma forma eu sempre soube que havia um poder maior chamado Deus, e que o propósito da vida era alcançar esse mesmo Deus. Sem ser ensinado, senti instintivamente que tudo o que eu via na vida era de alguma forma ilusório e irreal. Estes pensamentos, juntamente com a ideia de que eu não deveria me apegar a qualquer coisa deste mundo, faziam parte da minha consciência desde muito novo."

Aos 17 anos ele fugiu de casa e se tornou um sannyasin. Quando tinha 22 anos, ele decidiu que Sri Ramana Maharshi seria o seu mestre depois de ver uma foto dele. Ele foi ao ashram de Sri Ramana e trabalhou lá por quase uma década, primeiro como assistente pessoal de Sri Ramana e depois como gerente de construção.

Após dez anos de serviço, Sri Ramana disse-lhe para deixar o ashram e dedicar-se somente à Autoinvestigação. Ele se mudou para uma casa perto do ashram, onde praticou a autoinvestigação por décadas e, finalmente, realizou o Eu (o Ser). Ele morreu em 1995.


ॐ  Durga 


LAYA

[Uma mulher estrangeira veio ver Annamalai Swami. Enquanto ela se prostrava para ele, pareceu ficar completamente alienada do ambiente e permaneceu deitada no chão a seus pés por cerca de dez minutos. Esta não era a primeira vez que ela caía nesse estado enquanto estava na presença de Annamalai Swami. Depois de observá-la por algum tempo, ele gritou:]

Annamalai Swami: Você não deve entrar em laya [um estado de transe] assim! Está se tornando um hábito para você. Pode dar-lhe algum tipo de felicidade temporária, mas não é uma felicidade que a ajude espiritualmente. É semelhante a dormir. Mesmo as atividades mundanas são melhores que esse transe. Abandone esse hábito!

[Endereçando-se às outras pessoas presentes Annamalai Swami disse:]

As pessoas ocasionalmente entravam em estados como este na frente de Bhagavan Ramana Maharshi. Ele nunca os encorajou, mesmo para aqueles que pareciam estar em profunda meditação.

Lembro-me de uma ocasião em que Bhagavan observou um homem que estava sentado completamente imóvel no salão há pelo menos uma hora, aparentemente numa meditação profunda. Mas, Bhagavan não foi enganado.

Ele chamou Kunju Swami e outros que estavam presentes naquele momento e disse: "gritem com ele, sacudam-no e quando ele acordar, levem-no em giri pradakshina (caminhar à volta da montanha Arunachala)! Isto não é melhor que o sono. Este estado não é bom para ele. Ele está apenas perdendo o seu tempo sentado assim."

Bhagavan nos advertiu sobre esse estado, e ele frequentemente citava histórias de sadhus (homens santos que ficaram presos nesse mesmo estado durante anos.

Uma das histórias mais contadas era uma história sobre um sadhu que pediu ao seu discípulo um copo de água. Enquanto esperava que o discípulo retornasse, ele entrou num estado profundo de laya que persistiu por muitos e muitos anos. Ele esteve nesse estado por tanto tempo, que o seu discípulo morreu, o rio mudou seu curso e diferentes governantes passaram pelo "poder".

Quando ele abriu os olhos, o seu primeiro comentário foi: "Onde está o meu copo de água?" Antes de  ter entrado em laya, era esse pensamento que estava na sua mente, e décadas depois, esse pensamento ainda estava lá.

O comentário de Bhagavan sobre esta história foi: "Esses estados de transe não são úteis. Eles não são o samadhi. !

[A mulher que tinha entrado em laya fez a seguinte pergunta:]

Pergunta: Sempre que começo a meditar, pouco tempo depois de começar, caio nestes estados. Como posso evitar que estes estados venham e me consumam?

Annamalai Swami: Continue praticando a autoinvestigação ensinada por Bhagavan. Esta é a melhor maneira para você evitar entrar em laya. A mente geralmente tem dois hábitos: ou está ocupada com muitos pensamentos e está engajada em atividades, ou volta a dormir. Mas para algumas (raras) pessoas, existe essa terceira opção, cair nesse estado de laya. Você não deve entrar nele porque, quando se torna um hábito, torna-se viciante. É um estado agradável estar nesse transe, mas se você cair muito profundamente nele, torna-se muito difícil para você sair dele.

Você sabe como é esse estado porque já esteve nele muitas vezes. Assim que você sentir os primeiros sintomas de um transe se aproximando, levante-se e caminhe. Não fique sentada ou deitada. Ande por aí ou faça algum trabalho, e acima de tudo, continue praticando a autoinvestigação ensinada por Bhagavan. Se você praticar a autoinvestigação constantemente, nunca mais entrará em laya.

Você pode vencer esse hábito. Você só precisa estar atenta e fazer autoinvestigação.


Annamalai Swami
1906-1995

Laya, tradução de livre de:
 Annamalai Swami, "Final talks" (6), edited by David Godman
("Os ensinamentos finais de Annamalai Swami", editado por David Godman)
Breve introdução a Annamalai Swami, tradução livre de:
https://realization.org/p/annamalai-swami/annamalai-swami.html

Comentários

Mensagens mais visualizadas dos últimos 7 dias