O Ego Segundo Ramesh Balsekar | Gautam Sachdeva


Shiva Nataraja - O Senhor da Dança


"Oh dia, desperta!
Os átomos estão bailando.
Graças ao Amado todo o universo dança.
As almas giram, pé ante pé, tomadas pelo êxtase...
Eu irei sussurrar baixinho em seu ouvido
para onde leva esta dança:
Todos os átomos, no ar e no deserto, bem sabem
que se parecem como loucos;
cada um deles, feliz ou miserável,
gira apaixonado em torno do sol,
e não há nada mais por ser dito,
nada mais."
- Rumi



O EGO SEGUNDO RAMESH BALSEKAR

POR: GAUTAM SACHDEVA


Gautam Sachdeva visitou Ramesh Balsekar pela primeira vez em Fevereiro de 2000, e ao longo de um período de nove anos, também trabalhou em estreita colaboração com Ramesh no processo de publicação de alguns dos livros do Sábio.

O que é o ego? Ramesh Balsekar diz em termos muito simples que o ego não é mais nada do que a identificação com o nome e a forma, como sendo uma entidade separada.

Então, eu, Gautam Sachdeva, esta forma, ou melhor: «Eu sou Gautam, eu sou esta forma, eu estou identificado com esta forma», isto é o ego.

Ramesh Balsekar diz: «A Fonte, a Consciência Impessoal, identifica-se a ela própria com cada entidade separada e opera através dessa entidade como o ego. O ego é a consciência identificada, a Fonte é a Consciência Impessoal».

O que ele quer dizer é que o "Eu Sou" é simplesmente Existência, a Consciência Impessoal, mas no momento que se torna «Eu sou Gautam. eu sou um ser separado, este sou eu, isso é a consciência identificada. A Consciência identificou-se com este corpo, como um funcionamento da própria Consciência, não foi algo que nós tenhamos feito. Não é um ato nosso, é um processo que aconteceu através de Maya, através da manifestação como nós a conhecemos. Isto é muito importante, como Ramesh diria, «Muita gente diz: mata o ego, mata o ego», mas a quem estão a dizer para matar o ego?

Eles estão a dizer para o ego matar o ego, mas será que o ego vai matar-se a ele próprio? O ego vai concordar em matar-se a si próprio? Ele não o vai fazer (nem consegue). O que no fundo quer dizer matar o ego é matar o sentimento de fazedor pessoal no ego.

Ramesh Balsekar: «O que é preciso não é liberdade do ego, mas liberdade para o ego, liberdade do sentimento de fazedor pessoal. Mesmo um Sábio (Um Jnani) tem um ego. Mais precisamente, o Sábio vive como um ego. Mesmo um Sábio responde pelo seu nome quando é chamado. Contudo, a diferença entre o ego de um Sábio e um ego de um homem comum é que o sentimento de fazedor pessoal no ego de um Sábio foi completamente arrancado pela raíz».

Ramesh durante os Satsangs dizia que os Sábios não são como zombies, e se você chamar um Sábio ele responderá pelo nome. Portanto o ego é o elemento operacional, mas esse ego é desprovido do sentimento de fazedor pessoal: «O meu e a minha história, eu faço isto e eu fiz aquilo, eu sou o centro do universo...»

Ramesh Balsekar: «Como Ramana Maharshi colocou, o ego de um Sábio é como os restos de uma corda queimada. Ela já não pode ser usada para amarrar nada, mas as suas cinzas ainda têm a forma de uma corda».

Então, Ramesh daria o exemplo de retirar o apêndice de um corpo. O corpo continua a funcionar, o Sábio também continua a funcionar como funcionava. O facto do sentimento de fazedor ter sido removido não quer dizer que tenha afetado o seu funcionamento. Não quer dizer que sem isso não possa funcionar.

Ramesh Balsekar: «Tal como o apêndice quando é removido, o corpo não é afetado e permanece completamente funcional, similarmente num Sábio o ego continua a operar, mas sem o sentido de fazedor pessoal. O Sábio atua como se fosse o fazedor, mas sabendo que não o é, aceitando que tudo acontece exatamente como deve acontecer, de acordo com a vontade de Deus».

Mais uma vez eu gostaria de clarificar este aspeto, da vontade de Deus, porque às vezes, as pessoas têm um problema com a palavra Deus, e quando Ramesh se refere a Deus, ele deixa claro que se você não fica confortável com a palavra Deus, o que nós queremos dizer é: Consciência. O mesmo Deus que funciona através de nós, que nos permite ouvir e falar, esse é o Deus, esse é a Fonte, essa é a Consciência a que nos referimos. Não é Deus com uma forma.

Gautam Sachdeva

"Apontadores de
Ramesh Balsekar"
por Gautam Sachdeva

Poema por Rumi (Rumi Brasil)
O Ego Segundo Ramesh Balsekar, tradução livre de:
Gautam Sachdeva
https://www.youtube.com/watch?v=3JjuqJnQotE&t=287s

Comentários

Mensagens mais visualizadas dos últimos 7 dias