Meditação | Rupert Spira





MEDITAÇÃO 

POR RUPERT SPIRA

Nós normalmente consideramos que a meditação é uma espécie de atividade da mente.

Um focar da mente... normalmente num mantra ou numa chama ou na respiração ou apenas na situação atual.

Por outras palavras, a meditação é normalmente concebida como sendo uma atividade.

Portanto, o que nós entendemos aqui por meditação é algo muito diferente disso.

Meditação não é uma atividade que é realizada pela mente.

Meditação aqui nós entendemos como simplesmente ser a presença da consciência.

Entende o que eu quero dizer com consciência?

Ser a consciência não é algo que precise de ser feito pela mente.

Conhecermo-nos a nós mesmos como consciência, não depende do que a mente está fazendo ou do que não está fazendo.

Por exemplo, neste momento é você aquele que está consciente da sua experiência?

É óbvio que sim.

Você está consciente destas palavras, você está consciente de tudo ao seu redor, está consciente dos seus pensamentos, está consciente de seja qual for a sensação corporal que esteja presente.

Tudo isso está mudando, movendo-se, fluindo, e você está lá, sempre presente, conhecendo tudo isso, ou estando consciente disso.

Você está a fazer algum esforço para ser Isso? Ou é apenas naturalmente Isso? Poderia ser algo diferente Disso? Já alguma vez foi algo diferente Disso?

Para poder imaginar, para poder realmente sentir que você seria algo diferente, por exemplo, um conjunto de pensamentos e sensações, o que você teria de fazer?

Você teria que esquecer ou ignorar aquilo que você é realmente.

E você teria que imaginar, ao invés, que você seria um conjunto de pensamentos e sensações.

É isso que nós fazemos. Quando eu digo "nós fazemos", é isso que o pensamento faz.

Porque o pensamento não pode ver a consciência... O pensamento é como a tela para a personagem do filme, para onde quer que ela olhe, ela não pode ver a tela, embora seja feita dela, ela não consegue vê-la.

Portanto, o pensamento não pode encontrar a consciência, porque ela é transparente, é vazia, é desprovida de objetividade.

Portanto, o pensamento imagina, ao invés, que nós somos um conjunto de pensamentos, sentimentos, sensações e perceções, por outras palavras, um corpo-mente.

E com essa imaginação, um "eu" (ego) ilusório, um "eu" imaginário feito de pensamentos e sentimentos vem à existência aparentemente.

O pensamento imagina o "eu" separado. Nós então, sentimos que somos este "eu" separado.

"Eu" sou este corpo e esta mente que está consciente. Mas então, reparamos que não somos felizes e buscamos felicidade nos objetos convencionais, e quando todos os objetos convencionais nos falharam o suficiente, nós começamos a procurar em objetos menos convencionais, e ouvimos falar em algo chamado de meditação, e nós abordamos a meditação exatamente da mesma forma que abordávamos os outros objetos que costumávamos ir atrás, as substâncias, as atividades, os relacionamentos, fosse o que fosse, e nós pensamos, "ok, eu chego a este novo método de busca, algo chamado de meditação, e alcanço estados sutis de mente que finalmente me darão a felicidade que eu estava anteriormente procurando em objetos."

Então, o "eu", o ser separado, inicia esta atividade da mente chamada de meditação e começa basicamente a manipular a mente, geralmente silenciando-a ou focando-a. E isto traz algum alívio temporário, porque enquanto houver um esforço tremendo para aquietar a mente, a mente. até certo ponto, torna-se quieta e uma certa paz provém disso. Mas, não traz aquilo que nós realmente queremos, que é a paz duradoura, paz imperturbável, paz que não seja dependente do condicionamento da mente, do corpo ou do mundo.

Portanto, aquilo que consideramos meditação aqui é bastante diferente daquele focar ou disciplinar da mente.

Meditação aqui é Aquilo que somos.

Meditação é apenas ser conscientemente a presença da consciência.

Por outras palavras, apenas ser.

Essa é a meditação mais elevada, apenas ser como você É.

E é ironicamente a coisa mais fácil no mundo. É mais fácil que respirar. Não requer que a mente esteja numa condição em particular.

Você pode ser muito inteligente, pouco inteligente, você pode estar agitado, calmo, em circunstâncias difíceis ou em circunstâncias fáceis, não faz qualquer diferença, porque em todas essa situações, você, Consciência, permanece como sempre É.

Meditar significa ser Isso conscientemente.

Se nós nos acostumamos a meditar, a fazer a atividade da mente chamada de meditação, poderá haver uma pequena rebelião na mente quando nos sentamos aqui se lhe darmos algo para fazer, a mente poderá se sentir redundante e com boas razões.

Portanto, poderá haver uma pequena rebelião na mente porque ela está habituada a estar empregada. Ela irá ficar agitada, ela irá agarrar a sua atenção de novo, "tu não deverias estar fazendo isto", ou " isto não é o suficiente", ou "isto não é a coisa real".

Ela irá fornecer todo o tipo de desculpas, do "porquê" que você deve se envolver com ela de novo.

E uma e outra vez você poderá se encontrar perdido na mente.

Sempre que você se encontrar perdido na mente, apenas note... considere a mente como um comboio que entra na estação, e diga apenas " eu embarquei naquele comboio, eu nem pretendia, eu embarquei nele mecanicamente.". Apenas saia do comboio, deixe o comboio ir para onde quer que ele vá.

Deixe os seus pensamentos fazerem o que eles foram condicionados para fazer, eles vão fazê-lo de qualquer forma, não interfira com eles.

Se você começar a interferir com os seus pensamentos, se começar a lutar com os seus pensamentos terá que lutar com o Universo inteiro, porque todo o Universo está envolvido na produção de algum pensamento ou ação.

Não vá contra os seus pensamentos, deixe-os fazer o que eles foram condicionados a fazer, mas não embarque no comboio, apenas fique de fora.

É apenas uma metáfora, nem sequer tem que ficar de fora, você é mais como a plataforma do como o passageiro. Você é aquilo através do qual o comboio está fluindo, não interessa onde ele está indo.

Não interessa onde os seus pensamentos estão indo ou o que estão fazendo, ele estão sempre fazendo uma de duas coisas: eles estão indo para o passado ou para o futuro. Apenas deixe-os ir, deixe-os fazer a viagem, mas você nunca vai na viagem com eles.

Isso é meditação, apenas conhecer-se a si mesmo como esta sempre presente, imperturbável, luz de Consciência.

É isso, apenas permaneça como Isso.

Rupert Spira
Origem:
A meditação mais elevada 
https://www.youtube.com/watch?v=PEF3ujFBISg

Comentários

Mensagens mais visualizadas dos últimos 7 dias